Mitos Sobre Bitcoin – Fazem Sentidos ?!

0
Mitos Sobre Bitcoin

O Bitcoin continua sendo o mais popular e o maior em termos de capitalização de mercado. O ecossistema, de uma forma ou de outra, gira em torno dele e criou uma comunidade de usuários fiel à crença de que, mais cedo ou mais tarde, se tornará o futuro das finanças.

Sua evolução tem sido constante nos últimos anos, passando por uma série de bifurcações como Bitcoin Cash, Gold, Diamond e Private, melhorias no processo de mineração através do uso de equipamentos integrados com chips ASIC e otimizações no aspecto de escalabilidade como Rede SegWit e Lightning. Por outro lado, o número de pessoas interessadas nesta criptocorrência também vem aumentando, gerando uma maior adoção do conceito até hoje.

Deve-se notar que ao longo desta jornada entre a sua origem e desenvolvimento, foi mantida entre a comunidade antigos e novos usuários, uma série de mitos sobre o seu funcionamento, gerados principalmente por uma má compreensão do assunto ou má interpretação de todos os aspectos que cercam e influenciam sua tecnologia.

Nesta oportunidade, o objetivo será avaliar e refutar alguns desses mitos que permaneceram com o Bitcoin.

1.) Bitcoin é um esquema de Ponzi

Este é um dos mitos mais difundidos e ao mesmo tempo negado na comunidade, sendo as razões pelas quais se pensa, mais ilógico e infundado. A única coisa necessária para concluir que não há relação entre nenhum dos dois é um pouco de revisão e investigação para ambos os conceitos.

Um esquema Ponzi é um sistema de investimento fraudulento, no qual altos níveis de retorno são oferecidos através de juros que são pagos a partir do fundo fornecido pelos investidores ou do dinheiro que os novos membros fornecem quando entram na operação.

A fraude não envolve qualquer investimento, mas sim uma redistribuição de dinheiro entre os participantes, que só permanece em pé à medida que novos membros chegam com a promessa de receber juros altos para que, ao parar de obter novos fundos, o esquema fracasse.

Bitcoin, por outro lado, não foi criado com o propósito de gerar qualquer retorno sobre um investimento, seu preço é um mercado livre é fixado pela oferta e demanda para que qualquer um que se envolva possa ganhar ou perder de acordo com suas variações.

Esta criptomoeda foi criada como um ativo digital, destinado a servir como meio de pagamento e cuja operação será baseada em uma estrutura de dados descentralizada conhecida como cadeia de blocos. Além disso, ele também se dedicou a resolver o problema dos generais bizantinos que ocorreram por um longo tempo na ciência da computação.

2.) Bitcoin é usado apenas para atividades ilícitas

O uso do Bitcoin se diversificou e se expandiu com o passar do tempo, no início, muitos usaram esta criptomoeda na Internet para diferentes propósitos e hoje sua aceitação se tornou popular em todo o mundo.

Para o ano de 2012, a Bitpay tinha mais de mil comerciantes que aceitaram o Bitcoin como método de pagamento. Da mesma forma, também foi usado para fazer doações, pois em algum momento elas foram recebidas pela Electronic Frontier Foundation e Wikileaks.

No entanto, também é verdade que começou a ser usado para atividades ilícitas no mercado negro, mas é por causa de seu próprio boom que levou as pessoas a adotarem cada vez mais seu uso, e entre aquelas que viram nele um oportunidade de realizar suas atividades ilegais.

Embora isso seja verdade, isso não significa que é o único uso para o qual está disponível. Como uma moeda fiduciária, ela é usada de acordo com as intenções do detentor e não é por isso que seu propósito ou legitimidade deve ser questionado.

 

3.) Mineração Bitcoin é um desperdício de energia

A energia no protocolo Bitcoin tem um propósito e é a prova de trabalho que é usada para verificar transações resolvendo operações matemáticas, ação com a qual as novas unidades de Bitcoin de origem legítima e imutável serão obtidas. Isso basicamente significa que, sem a energia usada, o desempenho do Bitcoin perderia completamente seu significado.

O conceito errôneo de desperdício de energia é dado pelas grandes quantidades que são necessárias para mover o protocolo, no entanto, isso não significa que ele seja injustificado. Em todo caso, não é a quantidade de energia utilizada que deveria ser suprimida, mas sim a criação de novas formas alternativas e sustentáveis ​​que substituam os meios tradicionais atualmente empregados.

Na verdade, a Standard American Mining é uma das empresas que atualmente inventou uma maneira de converter resíduos em energia para a mineração criptomoeda, o que abriria as portas para o uso de outros métodos na produção de energia para o protocolo.

Palavras finais

Os níveis de transparência no protocolo e operação do Bitcoin, faz com que qualquer tipo de mito que se acredite sobre a criptocorrência possa ser esclarecido imediatamente. Dispensar todas as opiniões geradas pela falta de informação sobre essa inovação no mundo financeiro, permitirá que muito mais pessoas sejam motivadas a se integrar ao ecossistema e se tornem freqüentes usuários de criptomoedas.

Bitcoin e a tecnologia Blockchain que o suporta foi criada com o objetivo de sobreviver ao longo do tempo e ser totalmente autônoma e independente em sua operação. Qualquer inovação dessa magnitude sempre enfrentará mitos e obstáculos, mas são precisamente suas características que lhe permitirão permanecer em vigor, evoluindo e em constante expansão.

Mitos Sobre Bitcoin – Fazem Sentidos ?!
5 (100%) 1 voto

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here